quinta-feira, 12 de julho de 2007

Brasileiros inadimitidos no exterior III



Hoje é dia de blogagem coletiva. A Meire, do Pensiere e Parole, convidou vários blogueiros para discutir atos como a Operação Amazon II, que tem barrado sul-americanos em território europeu. Em 17 dias de blitz , 2178 sul-americanos foram inadimitidos (tiveram que voltar para o Brasil, sem entrar na Europa) dentre eles, 464 brasileiros.

Já falei sobre o assunto aqui, mas andei investigando um pouco mais e acho que há um pouco de desinformação e ingenuidade a respeito do tema - não que eu seja uma expert, apenas uma observadora atenta.
Antes de mais nada, quero apenas deixar claro que sou uma romântica no que tange à inexistência de fronteiras. Para mim parece desumano impedir que as pessoas possam visitar outros lugares, simplesmente porque existe uma linha imaginária, chamada fronteira, que as impede. Também não me atraem paixões patrióticas do tipo "a Amazônia e nossa!", "somos o país com a maior quantidade de água no mundo", "temos o hino mais lindo do mundo", essas coisas. Acho tudo isso extremamente ridículo e algumas vezes mesmo perigoso, dependendo do caso.

Somos seres humanos. E, em qualquer lugar do mundo o ser humano é o mesmo! Todos têm seus medos, seus anseios, seus sonhos, suas dúvidas... Há os honestos, os desonestos, os dignos, preguiçosos, os caridosos, insensíveis, os educados, os rudes, os generosos, os egoístas... A cultura é diferente? É claro! Mas essas diferenças podem existir dentro de um mesmo país, ora bolas!

Dito isto, voltemos ao tema da blogagem coletiva. Talvez alguns fatos possam ajudar a pensar. Moro atualmente num país que, segundo o que temos visto, vive barrando brasileiros e pessoas de outras nacionalidades com a desculpa do medo do terrorismo. Mas, sinceramente, apesar de ter morado numa cidade turística no Brasil - Rio de Janeiro - no bairro provavelmente mais popular do país e conhecido internacionalmente - Copacabana - nunca vi tantas nacionalidades num só lugar, como aqui. Mexicanos, vietnamitas, árabes de todas as partes, chineses, japoneses, indianos, russos, europeus dos mais variados países, a lista é longa.

Pesquisas

Você achou que eu estava falando de turistas? Não! São pessoas que decidiram morar aqui! Numa recente projeção demográfica, feita pelo Departamento Financeiro da Califórnia, em 2042, os hispânicos vão ser maioria no estado - 52%! Brancos serão 26%, asiáticos, 13%; negros, 5%.

Uma pesquisa um pouco mais antiga (California's Migration Flow) mostra que, entre 1995 e 2000 1,2 milhões de imigrantes mudaram para a Califórnia, proveniente de outros países. Deste número, 50,3 % eram latino-americanos. Agora o mais chato disso é que 34% dos imigrantes vindos de outros países com mais de 25 anos de idade não tinham completado o primeiro grau. E a pesquisa tem detalhes sobre onde estes imigrantes geralmente conseguem emprego (a maioria em construção, agricultura, pesca, etc) e claro, sobre o número de desempregados e renda anual deles, que é das mais baixas do estado.

E, se resolvemos investigar mais profundamente encontramos dados alarmantes sobre a pressão que tais números podem ter sobre serviços como educação, saúde, transporte, além do impacto no meio-ambiente que um número inesperadamente tão elevado pode causar.
Brasileiros
Centros de imigrantes que atendem brasileiros nos Estados Unidos afirmam que o número de imigrantes brasileiros gira em torno de 1,2 e 1,5 milhão de pessoas, dos quais 60% a 70% são ilegais. A maior concentração estaria nas regiões de Nova Iorque (cerca de 400 mil), Boston (cerca de 300 mil), Flórida (mais de 200 mil) e Califórnia (cerca de 70 mil pessoas). Mais números no link da Câmara dos Deputados: Emigrantes brasileiros já somam 3,5 milhões
De uma forma geral, acho que a raiz dessa onda imigratória certamente está nos países donde esses imigrantes provém e aí a discussão é bem longa, que vai desde a desinformação nas eleições à valorização crescente de posses materiais, em detrimento de valores da dignidade humana. Mas, acho que isto é tema prá um outro post!

3 comentários:

Mirian disse...

Oi Simone!!!!
Obrigada por deixar um recadinho no meu blog!!!Vim correndo conhecer o seu!!!rs
Eu só fiz uma *pauta* ,não quis discutir o assunto...hehe...
No Japão tbm tem ilegais (geralmente flipinas,chineses)e acabam sendo deportados sim...as empresas que contratam pessoas sem visto tbm sofrem uma multa violenta, se a fiscalização pegar.
E é claro acaba afetando todos os estrangeiros ...pois aí somos meio mal vistos.
Mas o Japão precisa de mão de obra , e assim se vai...
Mas o governo está mexendo ...está dificultando os vistos para quem quer vir.Disseram que foi um erro deixar entrar tantos estrangeiros(brasileiros com descendência oriental).Por isso até a terceira geração se consegue ...mas depois já estão dificultando.
O problema acabe abrangindo educação para as crianças .Nota que meus filhos nasceram aqui e sempre eduquei em escola japonesa normal.A maioria dos brasileiros preferem uma escola brasileira ,que existe em alguns estados onde a concentração de brasileiros é maior.O valor das mensalidades é salgado.Visto que as escolas japonesas (o ensino fundamental e médio) se paga apenas a refeição escolar,fora os materiais e uniforme.
E acaba acontecendo que muitos brasileiros ficam fora da *sociedade* japonesa.Não querem saber de seus costumes..estatística? Mais acidentes envolvendo brasileiros,mais roubos, mais adolescentes problemáticos,já que os pais trabalham o dia todo.
Ah..falei demais..rs
Agora voltar ao Br com tudo aquilo que está acontecendo na política descarada e a violência....
Bjossssssssssssssss

rose disse...

Oi, Si, já estou aqui no seu lindo blog. Vou ficar mais informada agora por uma jornalista brilhante. Beijos.

Meiroca disse...

Simone bom dia, com nossa diferença de fuso somente hoje vi este teu post.
Concordo com vc, sim tem muito brasileiro causando constrangimento, mas o q nao entendo é pq, aqui na europa, onde nao se exige vistos, eles estao generalizando, estao confundindo turista com clandestino, veja bem por aquele post da Fernanda, o rapaz vinha pra Roma visitar a mae, nao teve chance, acabou preso em um quartinho junto a outros tantos, isso nao consigo entender.
bjs