quinta-feira, 16 de agosto de 2007

30 anos sem Elvis


Hoje faz 30 anos que Elvis Presley morreu. Ou, para quem acha que ele continua por aí, 30 anos que ele desapareceu. A data está sendo comemorada em todo o mundo por milhares de fãs. O ponto alto das comemorações é em Graceland, que é o nome da casa do cantor, em Memphis, no estado do Tenessee, que foi transformada em local de culto e onde Presley passou os últimos anos da sua vida. Além disso, durante toda a semana vários canais de tevê vão mostrar filmes, séries e programas especiais sobre Presley por aqui. Vai haver também um concurso de sósias de Elvis.

O "rei do rock" morreu sozinho, aos 42 anos, vítima de um ataque cardíaco na sua casa. Acredita-se que os problemas de saúde tenham sido agravados pelo abuso de drogas e medicamentos. Prercursor do “rockabilly” e dono de uma voz virtuosa, a ousadia e irreverência de Elvis Presley, aliadas a uma forma particular de dançar, tornaram-se a imagem de marca daquele que ficou conhecido como o “rei do rock'n'roll”. Mas não foi só na música que Elvis brilhou. Em Hollywood ele protagonizou mais de 30 filmes - eu assisti vários deles na Sessão da Tarde! No entanto, fora da grande tela e dos palcos, o final da estrela de rock foi menos feliz. Elvis divorciou-se da mulher, Priscilla Presley, após seis anos de casamento, isolando-se em Graceland.

Mesmo depois de morto, o negócio à volta do mito Presley tem-se mantido vivo e dado lucros. De acordo com a revista Forbes, logo a seguir a Kurt Cobain, dos Nirvana, Elvis Presley é a celebridade a gerar mais riqueza depois de ter morrido! A marca rende anualmente cerca de 30 milhões de dólares na venda de DVD, discos, merchandising e até reciclagem de alguns temas menos conhecidos, que continuam a alcançar os primeiros lugares nas listas. Para os 30 anos da morte de Presley, o site de leilões Ebay pôs à venda um piano de cauda branco do cantor, com o preço base de 183 mil euros. Mas espera-se que seja vendido até sábado por 1,4 milhões de euros.

Se fosse vivo - ou para os fãs que acreditam que Elvis não morreu, desconsidere - o “rei do rock” teria hoje 72 anos.